• Pontaria Novo Governo
  • Fatos & Notícias
  • BOLETOS ON-LINE
  • app do sindeprestem
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018

16/04/2019 | A formiga, a cigarra e a educação previdenciária (Simone Monteiro) - Valor Econômico

Como convencer pessoas jovens e cheias de vontade de aproveitar a vida de que é preciso poupar para garantir uma renda futura, quando trabalhar não for mais uma realidade em suas vidas? Seja porque já não querem ou não podem mais ou simplesmente porque o mercado de trabalho as rejeita? Essa é uma pergunta constante para quem trabalha com previdência complementar, principalmente no que diz respeito aos planos de contribuição definida (CD) e de contribuição variável (CV), em que cabe a cada associado fazer a cogestão do seu plano, escolhendo perfis de investimentos e aportando recursos próprios sempre que o orçamento permitir.

Para uma geração que parece até mesmo desconhecer o significado da palavra aposentadoria, pelo menos da forma como seus pais e avós experimentaram, e que muitas vezes mantém uma relação fugaz com a empresa na qual trabalha, pensar em fazer aportes sistemáticos, acompanhar rentabilidades e pensar em ciclos de vida soa como algo desnecessário no curto prazo. A questão é que o longo prazo, por mais longo que seja, sempre chega. A experiência da Previ com o seu plano de benefícios CV - o Previ Futuro - mostra que é preciso focar esforços na comunicação integrada em prol da educação previdenciária. Comunicações cada vez mais customizadas aos associados do plano, que aproveitem todas as possibilidades que o meio digital oferece, e sem desperdiçar qualquer oportunidade de contato com esse público são fundamentais. Para isso, o investimento em comunicação tem sido muito forte.

Campanhas sucessivas, distribuídas em todos os veículos de comunicação disponíveis como o site da Previ, a intranet do patrocinador Banco do Brasil, revista digital, e-mail marketing, SMS, canal no YouTube, além de encontros presenciais nos principais centros urbanos em que haja maior concentração de funcionários do BB, vem sendo usados como âncoras de planos de comunicação integrados para falar de perfis de investimentos, contribuições esporádicas, tributação e incentivos fiscais, e vários outros conteúdos necessários para garantir a educação previdenciária dos funcionários que se encontram em fase de acumulação do saldo que irá garantir um salário de benefício futuro condizente com a expectativa dessas pessoas.

O índice de adesão ao Previ Futuro é altíssimo: 94% dos funcionários do Banco do Brasil com direito ao plano optaram por se filiar. Até porque partir de uma rentabilidade de 100% de largada não é algo para se jogar fora visto que, para cada um real de contribuição, o patrocinador acompanha o aporte até o limite previsto. Nosso desafio está em garantir que ao longo de suas carreiras, essas pessoas sejam convencidas da importância de priorizar a poupança mesmo que em detrimento de prazeres mais imediatos.

Que ajam enquanto há tempo. O meio digital é um grande aliado da educação previdenciária e a comunicação da Previ vem usando e abusando dele para garantir a disseminação de conteúdos de forma prática e eficiente, além de oferecer serviços como calculadoras e simuladores que ajudam os associados a, não só planejar, como também gerir o próprio benefício futuro. Há cerca de um ano, o aplicativo da Previ foi lançado com o objetivo de levar para a palma da mão dos associados da entidade toda a informação necessária para a tomada de decisão sobre os planos de benefícios. De forma ágil e interativa, ele foi concebido para ser um novo canal de comunicação e interação com o participante.

Ao longo do tempo, as possibilidades cresceram e seu direcionamento foi além ao incorporar os serviços de autoatendimento. Desde a sua estreia, o App Previ foi evoluindo para ajudar o associado nas tomadas de decisão que poderão influenciar no seu benefício futuro e auxiliá-lo sobre a importância da educação previdenciária, com serviços como um simulador em que os participantes do Previ Futuro podem escolher um benefício-alvo e comparar até três cenários de planejamento de aposentadoria. O aplicativo permite ficar mais próximo do associado, prestando contas do dinheiro confiado à Previ e levando informações que auxiliem no planejamento do futuro. Em um ambiente corporativo no qual funcionários que possuem um plano CV, como é o caso daqueles que ingressaram no Banco do Brasil a partir de 1998, convivem com um contingente residual de funcionários na ativa que ainda foram contemplados com um plano BD, fechado desde 1997, a percepção sobre o modelo de aposentadoria que os aguarda no futuro pode ser comprometida.

No caso do plano CV, a cogestão e o protagonismo do participante são fundamentais para a construção de um benefício futuro que possa atender as necessidades desses colaboradores. Pesquisas realizadas anualmente pela Previ apontam para alguns perfis em relação ao processo de comunicação, que podem ir desde de um perfil "interessado proativo" ao total "desconectado". Com exceção do primeiro grupamento, os demais representam um desafio e tanto para o processo de educação previdenciária e é aí que reside a importância da comunicação integrada como ferramenta estratégica. Sabemos que algumas cigarras vão acabar ficando pelo caminho, mas o contingente de formigas tem que ser maior.

Simone Monteiro é gerente-executiva de Comunicação e Marketing da Previ

Fatos e Notícias

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02