• Pontaria Novo Governo
  • Fatos & Notícias
  • BOLETOS ON-LINE
  • app do sindeprestem
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018

08/02/2019 | Para empresários, nova Previdência sai do papel - Valor Econômico

A área econômica do governo Jair Bolsonaro (PSL) é a que até agora inspirou mais confiança nas empresas com operação no Brasil, que esperam aprovação da reforma previdenciária neste ano, embora em versão mais amena do que as já veiculadas. É o que mostra pesquisa realizada pela Câmara de Comércio Americana (Amcham) com 550 empresários. O levantamento entrevistou diretores e presidentes de companhias brasileiras e multinacionais, durante evento realizado ontem pela entidade sobre perspectivas para 2019. Para 60% deles, os anúncios feitos até agora pela equipe econômica foram positivos e têm potencial de melhorar a economia, gerar empregos e elevar a competitividade.

Nesse escopo, a prioridade é a mudança nas regras de aposentadoria, que, na avaliação de 63% dos consultados, será aprovada pelo Congresso este ano, mas sem incluir algumas categorias. Mesmo assim, a expectativa é que as alterações no sistema previdenciário resultarão em ganhos fiscais para o governo. Entre os empresários, 20% esperam que seja realizada "uma reforma estrutural e ampla, que consiga abarcar todos os setores, incluindo militares e todos os servidores públicos", até o fim do ano. Para 16% deles, a pauta ainda vai enfrentar alguma resistência para ser aprovada, com possibilidade de ficar para o próximo ano, enquanto somente 2% não veem chance alguma de reforma previdenciária em 2019. "Os esclarecimentos prestados pelo secretário do Tesouro [Mansueto Almeida, que compareceu a evento promovido pela Amcham ontem em São Paulo] sobre como o governo está preparado para a discussão da reforma reforçaram o nível de confiança dos empresários", diz Deborah Vieitas, CEO da entidade no Brasil.

As empresas presentes no evento concordam que o Executivo precisa mostrar grande capacidade de articulação com o Congresso para conseguir aprovar o projeto neste ano, mas estão divididas em relação a qual a melhor estratégia a ser adotada. De acordo com 32% delas, o governo Bolsonaro tem de debater e defender a proposta, assumindo a liderança da disputa em pontos passíveis de concessões, como a aposentadoria de militares e servidores públicos. Já 30% afirmam que o presidente precisa assumir papel de protagonismo na discussão, direcionando totalmente seu capital político para o tema, ao passo que a opção de envolver todas as lideranças partidárias na empreitada foi escolhida por 29% do total. Outro ponto importante que não foi colocado como prioritário pelo expresidente Michel Temer e, agora, deveria ser melhor abordado pelo novo governo, na visão de Deborah, é a comunicação com a sociedade a respeito da reforma. "É preciso comunicar o público sobre os motivos da reforma e os efeitos que pretendem ser alcançados. A comunicação do governo anterior não foi feita na qualidade e na profundidade necessárias", diz.

Depois das alterações no sistema previdenciário, a segunda temática mais relevante dentro da agenda liberal proposta pelo novo governo, segundo os entrevistados, é a simplificação e redução da carga tributária, citada por 48% deles. Ao mesmo tempo, a mudança no sistema tributário é vista pela maioria das empresas (37%) como a que tem menores chances de ocorrer nos quatro anos do governo Bolsonaro. Para a CEO da Amcham, o pessimismo do empresariado sobre a reforma no sistema de tributos brasileiro é explicado porque esse debate envolve União, Estados e municípios e, por isso, há dificuldade maior de entrar em acordo. Na outra ponta, o programa de privatização de estatais e concessões em infraestrutura é citado como o que tem maior probabilidade de sair do papel, com 41% das respostas. As empresas também estão otimistas sobre seus negócios em 2019: 62% trabalham com crescimento acima de 5% no ano. Para o Produto Interno Bruto (PIB), 69% esperam expansão "regular", entre zero e 2%; e 30%, desempenho "bom", acima de 2%.

Fatos e Notícias

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02